Estamos muito próximos de completar um ano da pandemia de covid-19. Aqui no Brasil, as medidas restritivas para controlar o contágio começaram em meados de março — completaremos um ano em menos de dois meses. 

É claro que, hoje, a situação já está muito melhor, especialmente com o início da vacinação. No entanto, é seguro dizer que ainda temos mais um período pela frente, visto que a vacinação de toda a população não deve ocorrer antes de 2022.

Com o isolamento social, quem não trabalhava com serviços essenciais se viu obrigado a ficar em casa — antes, é claro, das flexibilizações que já estão ocorrendo por todo o país. Uma vez em casa, foi preciso recorrer ao entretenimento, o que causou um “boom” do streaming na pandemia.

Neste texto, nós falamos justamente sobre isso. Você poderá acompanhar o crescimento do streaming na pandemia, uma previsão de qual será o caminho do formato depois que tudo acabar e, por fim, ainda poderá conhecer a melhor forma de lucrar com o streaming na pandemia.

Continue a leitura e entenda!

 

Acompanhando o crescimento do streaming na pandemia

Foi logo no começo na pandemia, quando as medidas de contenção estavam mais fortes e o mundo parou por um tempo, que pudemos observar um crescimento considerável no consumo de conteúdo por streaming. 

De acordo com um estudo realizado pela Conviva, empresa especializada em inteligência integrada de dados, os serviços de streaming tiveram um crescimento de mais de 26% apenas na América Latina. Globalmente falando, o número foi de cerca de 20%.

Especificamente no Brasil, algumas das maiores plataformas de conteúdo relataram um crescimento estrondoso, com números de usuários crescendo em até 500%.

crescimento do streaming

Outro dado que chama a atenção diz respeito à forma de consumo. Com as pessoas em casa, alguns horários também apresentaram crescimento. A pesquisa que citamos, realizada pela Conviva, ainda mostrou que o consumo de conteúdo entre 10h e 17h aumentou 40%.

Todos esses números mostram um claro crescimento em um período crítico. Mas, e agora, como as coisas estão? E como elas ficarão depois que tudo passar?

 

E depois, para onde o streaming vai?

O que se espera é que, mesmo que o crescimento do streaming na pandemia não seja superado, as pessoas continuem consumindo mais do que consumiam antes do período. A explicação para isso é simples: a pandemia foi um motor para que aqueles que não conheciam o formato fossem atrás dele e o conhecessem.

Agora, tendo consciência de todas as vantagens que o streaming traz, a tendência é que esse consumo continue ocorrendo. Com isso, as plataformas terão mais dinheiro para continuar investindo em conteúdo original e relevante, atraindo cada vez mais novos usuários e retendo os antigos.

É impossível determinar por quanto tempo este será o caso, visto que indústrias que eram muito fortes, como a de videolocadoras, sucumbiram à modernidade. O que podemos afirmar, por outro lado, é que ainda teremos muitos anos de streaming, e quem quiser lucrar ainda pode usar o formato por um bom tempo.

streaming no futuro

Provedor de internet, ofereça também um serviço de streaming!

Se você, hoje, já trabalha como provedor de internet e quer ter um diferencial para oferecer aos seus clientes, saiba que você também pode aproveitar o crescimento do streaming na pandemia para o benefício do seu negócio.

Basta ser um parceiro do programa OléTV para Provedores! Ao se tornar nosso parceiro, você ganha o direito de transmitir conteúdos de algumas das maiores produtoras do mundo — tudo sem aquela burocracia exigida pela Anatel.

Entre em contato conosco agora mesmo e veja como tornar isso uma realidade!

Por fim, se tiver gostado de entender melhor o papel do streaming na pandemia e quiser continuar recebendo conteúdo relacionado, siga-nos no Instagram!